agosto 13, 2022

[Resenha] Obra Completa de Sherlock Holmes - Volume 3

Cada vez que eu termino de ler um desses volumes eu sinto uma emoção agridoce. Nem acredito que o próximo já é o último. Nem preciso dizer que estou adiando o máximo que eu posso a leitura, não é? Mas, um dia terei que terminar, sendo assim, hoje venho finalmente trazer a resenha do volume 3, o penúltimo do box publicado pela editora Harper Collins Brasil.

Esse livro faz parte da lista 40 antes dos 40.

[Sinopse] Em 1887, o escritor escocês sir Arthur Conan Doyle criou Sherlock Holmes, o infalível detetive a quem os agentes da Scotland Yard recorriam para solucionar os mistérios mais intrigantes da Inglaterra vitoriana. Desde então, as aventuras do mestre da investigação atraem leitores ávidos por chegar à última página e ver o enigma desvendado. Para desvendar mistérios, o faro e a astúcia de Sherlock Holmes levam às fontes menos óbvias, às informações mais precisas. Um modelo que influencia até hoje a literatura policial e revela fôlego para impressionar gerações de leitores através dos tempos. O Volume 3 do Box da Obra Completa contém: A volta de Sherlock Holmes (Contos); O vale do medo (Romance). (Fonte: Skoob)

Não sei se todos vocês sabem, mas Conan Doyle tentou matar Sherlock Holmes e assim concluir suas aventuras, mas por pressão dos fãs acabou voltando atrás e trazendo o detetive de volta à ativa (quando falarem para vocês que o fandom de Sherlock é insano; acreditem. Eu faço parte e sou testemunha do que alguns membros são capazes de fazer). Notei certa diferença na escrita depois dessa tentativa do autor de não escrever mais sobre o detetive, algo muito sutil que nem sei descrever o que é, mas acho que foi só impressão. A qualidade das histórias continua a mesma.

agosto 04, 2022

[Sessão Pipoca] WandaVision

Como a postagem anterior foi com o pequeno trecho de um conto meu (ler degustação), resolvi esperar um tempinho maior para atualizar o Mente Hipercriativa, assim vocês teriam mais tempo para ler e comentar. Hoje eu vou falar de uma minissérie que conquistou meu coração de várias maneiras. Não apenas isso. É a primeira, depois de Sherlock (BBC), que conseguiu tocar minha alma pela forma com que me identifiquei com a história e os personagens. Estou falando de WandaVision (que estou assistindo enquanto escrevo simplesmente porque não consigo resistir).

Sinopse: Após os eventos de "Vingadores: Ultimato" (2019), Wanda Maximoff e Visão se esforçam para levar uma vida normal no subúrbio e esconder seus poderes. Mas a dupla de super-heróis logo começa a suspeitar que nem tudo está tão certo assim. Eles se encontram, na verdade, dentro de uma constante sitcom, que vai desde a década de 50 até os dias de hoje. Conforme o tempo passa, Wanda e Visão perdem o controle da situação, sem saber mais o que é real e o que é ficção. [Fonte: Filmow].

A minissérie começa com aquela vibe de série antiga, na hora títulos como “A Feiticeira (1964)” e “Jeannie é um Gênio (1965)” me vieram à mente. Episódios em preto e branco, risadas no fundo e situações exageradas que se resolvem como por um milagre e se transformam em cenas cômicas estão presentes o tempo todo, da forma como acontece nessas séries.


julho 23, 2022

[Degustação] Escuridão

No próximo dia 25 é celebrado o dia do escritor e nada melhor para comemorar uma data tão especial para mim do que com uma coluna nova aqui no blog.

Não é raro eu receber comentários de pessoas surpresas ao descobrir que além de blogueira eu também sou escritora de fanfics e histórias autorais. Vocês encontram todos os links para meus textos aqui: Catálogo das Publicações.

Mas, para que vocês não precisem ir atrás das histórias, nessa coluna trarei algumas até vocês. Pode ser através de quotes, sinopses ou um trecho. E é exatamente essa última a forma escolhida para compartilhar hoje. Espero que vocês gostem e se aventurem na história completa disponível gratuitamente no Wattpad e no Inkspired.

Escuridão

julho 16, 2022

[Tag] Culinária

Hoje eu resolvi trazer algo bem diferente aqui para o blog, bom, nem tão diferente assim porque já publiquei TAGs por aqui, mas essa é sobre comida e bebida! Queria quebrar um pouco a sequência de postagens sobre livros, filmes e séries e essa que encontrei no blog Reino Veggie caiu como uma luva! Espero que vocês gostem!

Perguntas e respostas:

1. Em qual refeição você costuma comer mais? Café da manhã, almoço ou jantar?

No dia a dia eu como pouco em todas as refeições, mas quando estou em um hotel adoro exagerar no café da manhã! O engraçado é que não tenho esse apetite em casa, mesmo podendo ter um banquete semelhante. Acho que vai além da comida e tem a ver com a viagem e o local diferente.

2. Tem algum alimento que você não come por nada?

Na verdade, são dois: jiló e mamão. O primeiro eu nunca consegui gostar, o segundo já tentei comer várias vezes, acho a fruta muito linda e prática de comer, mas tudo o que consigo com alguns pedacinhos é dor de estômago e enjoo. Alguém sabe se existe alergia a mamão?

3. Você faz alguma mistura estranha?

Não é uma mistura que eu faça, mas já vi muita gente torcendo o nariz para pizza de abacaxi e eu AMO. É sem dúvida meu sabor preferido.

julho 09, 2022

[Sessão Pipoca] É Culpa da Alegria

E aqui estou eu de novo assistindo a um filme totalmente fora das minhas preferências porque o Martin Freeman trabalha nele. Ode to Joy (É Culpa da Alegria). Uma comédia romântica bem água com açúcar que me surpreendeu positivamente e é uma pena que seja tão pouco divulgada.

Sinopse: Charlie sofre de cataplexia, um distúrbio neurológico que causa paralisação súbita quando ele sente alguma emoção forte - em particular, felicidade. Ele desenvolve várias técnicas para se proteger de prazeres e alegrias, mas elas são testadas quando ele conhece a bela e vivaz Francesca. [Fonte: Filmow].

Perfeito demais, gente! Eu não resisto! 😍

Quando eu digo que me surpreendeu positivamente é porque não é um gênero que eu costumo assistir. Essa ideia de que um dia você simplesmente encontra alguém, se apaixona, e é recíproco é dolorosa demais para mim porque nunca aconteceu e eu duvido muito que vá. Mas, pelo Martin Freeman aqui estou eu me desafiando. Para quem tem costume de ver filmes assim, talvez não seja nada muito fora do padrão. O que não faz dele menos agradável de assistir.

junho 25, 2022

[Resenha] Ilha do Medo (Paciente 67)

Eu assisti ao filme antes te ler o livro, então já tinha uma ideia de qual era a reviravolta do livro, mas preciso admitir que mesmo assim ainda fiquei com aquela sensação de “será mesmo?” quando terminei de ler.

Esse livro faz parte da lista 40 antes dos 40.

[Sinopse] No verão de 1954, o xerife Teddy Daniels chega a Shutter Island com seu novo parceiro Chuck Aule. A dupla deverá investigar a fuga de uma interna do Hospital Psiquiátrico Ashecliffe, reservado a pacientes criminosos. Sem deixar vestígios, a assassina Rachel Solando escapou descalça de um quarto vigiado e trancado à chave. Os médicos, funcionários e enfermeiras da instituição não parecem dispostos a colaborar com a investigação. E as mentiras vêm diretamente do enigmático médico-chefe do hospital. O desaparecimento de Rachel traz à tona uma série de suspeitas sobre o hospital: com suas cercas eletrificadas e guardas armados, talvez ele não seja apenas mais um sanatório para criminosos. (Leia a sinopse completa no Skoob).

Mesmo já tenho visto o filme, como foi há muito tempo (nem lembro quanto), resolvi apostar que minha memória não se lembraria do que acontece. Aparentemente perdi a aposta e estava certa sobre o desfecho, mas isso não fez a leitura menos interessante, porque eu li com uma visão diferente, quase uma releitura, tentando encontrar falhas na narrativa do protagonista que evidenciassem o final. Sabe aquelas dicas escondidas bem na frente dos nossos olhos? Então, foi com elas que eu me diverti enquanto lia.

No caso de Rachel, nenhum pensamento era ocioso ou secundário. Ela tinha de evitar que a estrutura de seu cérebro desmoronasse, e para isso era preciso pensar o tempo todo.” - Pág. 57