setembro 02, 2013

[Resenha] A Menina que Fazia Nevar

Todos os dias se parecem na vida que Judith McPherson leva ao lado do pai. Eles têm uma rotina simples e reclusa, numa casa repleta de lembranças da mãe que ela nunca conheceu, e as únicas pessoas com quem convivem são os fiéis da igreja cristã a que pertencem. Judith não tem amigos na escola, onde é alvo de gozações, e para encontrar consolo se refugia no mundo de sucata que construiu em seu quarto. Lá, cada dia é um dia, e a vida pode ser incrivelmente feliz graças a sua imaginação. Basta acreditar que a Terra Gloriosa, como ela chama sua maquete, é realmente o paraíso prometido onde um dia vai viver ao lado da mãe.
Aos dez anos, Judith vê o mundo com os olhos da fé, e onde os outros veem mero lixo, ela identifica sinais divinos e uma possibilidade de criar. Assim, constrói bonecos de pano e inventa para eles histórias felizes na Terra Gloriosa. O que nem Judith poderia imaginar é que talvez seu brinquedo seja mais do que uma simples maquete.
Pelo menos é o que parece quando ela cobre a Terra Gloriosa de espuma de barbear e a cidade aparece coberta de neve na manhã seguinte. Um pequeno milagre é assim que ela interpreta esse e outros sinais parecidos. Tão pequeno que muitas pessoas poderiam pensar que não passa de coincidência, mas Judith sabe que milagres nem sempre são grandes, e que reconhecê-los é um dom de poucas pessoas.
Longe de ser benéfico, no entanto, esse poder traz consigo uma grande responsabilidade. Afinal, seria certo usar a Terra Gloriosa para se vingar de Neil Lewis, o colega que a maltrata todos os dias na escola?
Esse livro cativa desde a capa. Ela é muito bonita e foi o que primeiro chamou minha atenção. Depois, a história. Não tem como não se encantar com Judith, que é quem narra a história, e torcer por ela para que alguém a ajude a se livrar de Neil, o menino que a perturba no colégio. Ele prometeu enfiar a cabeça dela na privada na segunda-feira, promessa essa feita durante a briga dos dois na sexta-feira onde ele não teve tempo de fazer isso, e Judith passa a temer por sua vida.

A primeira coisa que pensamos é: porque ela não pede a ajuda de um adulto. Então temos a resposta:
“Mas, se eu contasse, ele só iria dizer: “Você falou para o professor?”, e eu diria: “Falei”, e o Sr. Davies teria dito: “Ninguém vai enfiar a cabeça de ninguém na privada”, e o Pai diria: “Então está tudo bem”. Mas eu sabia que Neil iria enfiar minha cabeça na privada de qualquer jeito. E fiquei me perguntando por que o Pai nunca acreditava em mim.” - Pág. 21
Diante desse problema, vemos como a religião interfere na vida da menina e a afasta do pai. Pouca da atenção dele é direcionada à filha. Ele (e o grupo) tem regras que chamam de “Coisas Necessárias” que eles fazem achando que é para o bem deles e dos outros. Rezar é uma dessas coisas. Segundo Judith, eles acreditam que estamos vivendo nos Últimos Dias e a missão deles é levar a todos a palavra de Deus.
“Existem as Ovelhas (Irmãos como nós), as Cabras (incrédulos) e as Ovelhas Desgarradas (Irmãos que foram Apartados da congregação ou caíram). Há o Joio no Trigo (pessoas que fingem ser Irmãos, mas que não são), os Falsos Profetas (líderes de outras religiões), a Besta Fera (todas as religiões do mundo), os Gafanhotos (nós mesmos com nossa mensagem ardorosa),uma ascensão nas Relações Imorais (sexo) e sinais no sol, na lua e nas estrelas (ninguém sabe o que significam ainda).” Pág. 23 - 24
Eu não consegui descobrir que religião é essa do livro. Apesar de na sinopse estar escrito que é uma igreja cristã, eles não tem Cristo como maior símbolo da igreja, pois em um trecho é revelado que eles nem celebram o Natal. Se alguém aí conseguiu identificar qual é a religião comente!

Bom, o livro não é uma discussão sobre religião. Ela aqui na verdade é mais para ambientar a vida que Judith leva com o pai e eles são o foco principal da história. 

O medo de ser morta pelo colega de escola faz a menina usar sua fé para cancelar as aulas. Ela acredita que uma nevasca poderia salvá-la ou pelo menos adiar seu fim. Assim, ela cobre a Terra Gloriosa com um pano branco e espera pela neve. Esse pequeno gesto, acredita Judith, desencadeou uma série de acontecimentos que irão interferir na sua vida com o pai inclusive colocando os dois em perigo.

A história tem muitos momentos de tensão e alguns momentos muito fofos. Entre pai e filha, entre Judith e os irmão da igreja e também com uma vizinha excêntrica. Gostei de ler e recomendo. Só não esperem resposta para tudo que se passa na cabeça da menina, porque não terão.
“Porque a fé é igual à imaginação. Ela vê uma coisa onde não há nada, dá um salto e de repente você está voando.”

A menina que fazia nevar
Título Original: The Land of Decoration
Autora: Grace McCleen
Páginas: 312
Editora: Paralela
Ano: 2013
Link do livro no Skoob: A menina que fazia nevar

Assistam o Book Trailer: "A menina que fazia nevar", de Grace McCleen

10 comentários:

  1. Eu nunca tinha ouvido falar desse livro, e simplesmente adorei sua resenha (OMG, mais um pra minha gigante wishlist )
    E essa capa é tão linda *--*
    Parabéns pela resenha maravilhosa :D

    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado!!
      Realmente, a capa foi muito bem trabalhada mesmo!! :)

      Muito obrigada!
      Beijusss;

      Excluir
  2. Estou muito afim de ler esse livro... As opiniões que já vi até agora foram positivas, assim como a sua.
    Gostei da resenha (:
    Beijos,
    http://refugiodarealidade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele não fi exatamente como eu imaginava, mas gostei bastante! :)
      Fico feliz que você tenha gostado!!

      Beijusss;

      Excluir
  3. Será que os personagens são Judeus? Não consigo entender uma religião que Cristã que não celebra o Natal, mas não conheço muitas religiões, então não posso falar nada ^^

    A sua resenha ficou muito boa, fiquei com vontade de ler o livro. Principalmente para saber se ela tem a cabeça enfiada na privada ou não (e que diabos o pai da menina não acreditar nela!)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, não consegui descobrir. Achei estranho, mas não tenho certeza se ser Cristão implica em celebrar o Natal. Eu achava que sim, mas também não sou muito entendida no assunto. Marquei várias partes do livro enquanto lia pra ver se descobria, mas não consegui...

      Muito obrigada!
      Hahahahahaha... curiosidade é um problema.
      Pois é... fiquei com muita pena dela.

      Excluir
  4. Quero ler esse livro desde o lançamento, mas até hoje não consegui. A Menina que Fazia Nevar como vc msm disse, já cativa pela capa. Mas as resenhas tb ajudam muito, pois até agora não consegui achar uma crítica negativa que fosse.
    O enredo é envolvente e parece mesmo ser uma leitura emocionante. Espero um dia poder ler, e que seja em breve rs

    Bjs,
    Kel
    www.itcultura.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu pensei que o livro fosse ser de outra forma, mas não me decepcionei. A história é cativante.

      Espero que você goste!
      Beijusss;

      Excluir
  5. Olá!
    Parabéns pela resenha. Nem todos os cristãos celebram o Natal pois consideram que jesus nasceu em outra época. O livro parece ser muito bom!

    Agnes (Guii)
    http://www.literaturaummundoparapoucos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! ^^
      Muito obrigada!
      Pode ser isso então. Mas achei legal da parte deles não colocar o nome de nenhuma religião específica. Não era a ideia do livro. O foco é o relacionamento pai e filha. O livro é bom sim!

      Beijusss;

      Excluir

Agradeço muito a sua visita! Deixe um comentário!
- Todos os comentários, sem exceção, são respondidos. Clique em "Notifique-me" e fique de olho.

- Atenção:
Ao comentar você concorda com as políticas de comentários do blog. Saiba mais: Políticas de Comentários.

Obs: Os comentários dos leitores não refletem a opinião do blog.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...