abril 18, 2012

[Sessão Pipoca] Coraline e o Mundo Secreto

Cuidado com o que você deseja.


Nove entre dez adaptações de livros para o cinema não ficam tão boas quanto o livro. Sempre faltam detalhes ou ocorrem mudanças para adaptar a trama às telonas. Bom, para mim, Coraline é um entre esses dez casos. A estória criada por Neil Gaiman é uma fantasia cheia de mistério que agrada crianças de todas as idades! No entanto, apesar do livro ser muito bem escrito, não me diverti tanto lendo, quanto vendo o filme (na maioria das vezes me divirto mais com o livro).

It is not Caroline, it’s Coraline. (Não é Caroline, é Coraline).

Forcible
Spink
Coraline Jones é uma menina que se muda com os pais para uma casa antiga e muito grande que foi convertida em três apartamentos onde, além da família de Colaline, vivem as senhoras Forcible e Spink no apartamento embaixo da casa (que seria como se fosse o porão) e o senhor Bobinsky no apartamento acima da casa (que corresponderia ao sótão).

Bobinsky
Com os pais sempre ocupados, a garota se sente entediada e resolve explorar a nova moradia e descobre uma portinha em um canto da sala de estar. Após muito insistir com a mãe para que abra a tal portinha, ela termina decepcionada em descobrir que não havia ali nada além de uma parede de tijolos.

abril 16, 2012

Mousse de Maracujá - Fácil e gostoso

La vai eu de novo para a cozinha pro desespero da minha mãe. Bom, pelo menos eu lavo tudo depois que termino! Mas essa receita é uma daquelas que não tem como dar errado. É muito fácil de fazer e a Mousse de Maracujá é uma sobremesa muito gostosa!

Receita: Mousse de Maracujá

Ingredientes:
  • 1 lata de leite condensado
  • 1 lata de creme de leite
  • 1 lata de suco de maracujá concentrado (eu usei a lata de leite condensado pra medir o suco porque depois fica muito gostoso lamber a sobra de leite condensado misturado com suco de maracujá no fundo da lata!) 
Modo de Fazer:

abril 13, 2012

Artrópodes a serviço da lei

Como surgiu?

Meu último conto publicado, no meu outro blog Universo Invisível, é um conto policial (Esconde-Esconde) que escrevi ha algum tempo onde os investigadores usam a entomologia forense para ajudá-los na investigação. Hoje, algumas séries policiais citam o uso dos insetos durante as investigações, mas você sabe desde quando e como os investigadores passaram a usar essa ferramenta na elucidação de crimes? É uma estória interessante, que aconteceu há muito tempo, em 1235 na China.

Em uma vila de agricultores, um homem foi morto, mas não havia nenhum suspeito do crime. Os encarregados de investigar o crime analisaram as ferramentas, no caso foices, utilizadas pelos homens e encontraram em torno de uma delas moscas voando, provavelmente atraídas pelo cheiro de sangue que mesmo após a ferramenta ter sido lavada continuava perceptível para os insetos. O dono da ferramenta foi interrogado e acabou por confessar a autoria do crime.

No entanto, nesse caso, os insetos não foram diretamente usados para resolver o crime, já que o assassino confessou. Vários anos depois, em 1855, na França, tem se o primeiro relato onde os insetos realmente “atuaram” na resolução de um crime. O corpo de uma criança foi encontrado em uma residência sob o piso encoberto por uma camada de gesso. Depois que os peritos analisaram os insetos presentes no cadáver e o seu estagio de decomposição chegaram à conclusão de que os moradores que residiam na casa apenas à poucos meses nada tinham haver com o crime e as investigações se dirigiram a família que residia anteriormente na casa.

A entomologia forense, no entanto, só se tornou mundialmente conhecida em 1894 quando Mégnin publicou na França o livro “La faune des cadavres”. Contudo, a metodologia utilizada por Mégnin, não pode ser aplicada para o Brasil devido à diversidade de a fauna brasileira ser muito diferente daquela de países de clima temperado e da grande dimensão continental do país. Assim, em 1908 Edgard Roquette Pinto e Oscar Freire, respectivamente nos estados do Rio de Janeiro e da Bahia, iniciaram os trabalhos na área da entomologia forense nos Brasil. Com base em estudos realizados na primeira década do século XX em humanos e animais eles fizeram um registro dos insetos necrófagos em regiões da Mata Atlântica.

abril 08, 2012

[Resenha] A Garota dos Pés de Vidro

Faz um tempinho que eu li esse livro, mas tinha dúvidas se faria ou não um post falando sobre ele. Por fim, acabei resolvendo aproveitar o feriado da Páscoa para fazer a resenha.

O livro conta a estória de Midas, um tímido fotografo residente no arquipélago de Saint Hauda’s Land e Ida, uma garota aventureira que vai até à ilha tentar descobrir a cura para a estranha transformação que está acontecendo. Ela está se transformando em vidro. Isso mesmo, seu corpo está virando vidro.

A estória acompanha essa transformação e o envolvimento de Midas e Ida enquanto ele tenta ajudá-la. Cheia de flashbacks da vida de Midas, somos envolvidos por uma atmosfera romântica muito doce e suave. É o tipo de livro que apesar da tensão que ficamos por causa da doença de Ida, ao mesmo tempo é como se estivéssemos em um lugar muito aconchegante, protegido e muito bonito (a paisagem descrita é de inverno com muita neve que eu adoro).
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...